6 boas práticas para grandes escopos em agências de marketing

mar 14, 2024

No marketing, atuar com clientes que possuem um escopo extenso de produtos, serviços, soluções e áreas de atividade é desafiador por diversos motivos. Porém, com planejamento dedicado junto ao cliente, os resultados aparecem.

É de suma importância que o trabalho no dia a dia resulte em entregas orgânicas de qualidade, atendendo às expectativas do cliente de forma constante. Para isso, existe uma série de passos a seguir de boas práticas que as agências de marketing podem implementar aos clientes com grande complexidade que auxiliam na execução dos trabalhos.

1º passo das boas práticas: Flexibilizar processos engessados


Muitas vezes, o cliente pode apresentar problemas com relação aos seus próprios processos. Um exemplo comum é a burocracia para se alterar planejamentos ou aprovar materiais inéditos, como novos produtos, campanhas e abordagens. A agência de marketing e o Gerente de Contas devem trabalhar em prol da melhor execução dos trabalhos e de forma ágil.

A Twist realizou essa flexibilização junto a um de seus clientes, a gigante multinacional SGS. Ao estruturar e implementar um plano abrangente e multicanal, ainda havia uma questão de não dimensionamento dos processos de trabalho e demandas. Com um bom trabalho de relacionamento entre agência e cliente, por meio do Gerente de Contas, as entregas acontecem com mais qualidade e tranquilidade.

2º passo das boas práticas: Imersão e planejamento bem feito e executado


As agências e seus profissionais devem fazer um trabalho de imersão no mundo do cliente e do mercado em que ele está inserido. Assim, é possível identificar oportunidades que vão garantir uma entrega orgânica com mais qualidade.

Novamente, a atuação contínua do Gerente de Contas nesse processo é primordial para que a execução das tarefas seja assertiva e alinhada às expectativas do cliente, gerando os resultados esperados.

3º passo das boas práticas: Ajustes em tempo real


À medida que o trabalho é feito, a agência deve estar atenta a cada ação desenvolvida. Logo, é possível promover ajustes em tempo real, de acordo com as necessidades e mudanças de cenários, a fim de maximizar os resultados finais. É como trocar um pneu com o carro em movimento, mas no bom sentido — afinal, é uma das boas práticas.

As equipes responsáveis por campanhas online conseguem alterar a rota de suas peças, adequando à correções de posicionamento, por exemplo. Isso permite que novas estratégias sejam adotadas a depender do desempenho e aproveitando oportunidades que surgem ao longo do tempo.

4º passo das boas práticas: Integração entre todos os serviços e comunicação


Você já acessou a página de uma empresa ou produto e se perguntou se ela era, mesmo, oficial? Em alguns casos, essa dúvida acontece pois não há integração entre plataformas e páginas no que diz respeito à identidade visual, tom de voz da comunicação e, inclusive, a hierarquia das informações disponibilizadas.

A Twist conseguiu encontrar essa linearidade na integração de páginas externas da SGS, como as Landing Pages desenvolvidas para cada uma das 8 unidades de negócio da empresa, que inclui, ainda, uma plataforma exclusiva para a educação B2C e B2B, a SGS Academy, que oferece cursos e qualificação para profissionais e companhias.

O mesmo foi feito nas redes sociais da SGS. Tanto no LinkedIn quanto no Instagram e Facebook, as postagens abordaram temas estratégicos para a empresa, o que rendeu um crescimento de mais de 13% no número de seguidores nos primeiros meses, e um aumento de vendas de cursos de quase 70%.

5º passo das boas práticas: Otimização constante de performance


“— Potencialize o que está trazendo resultado, teste muito, não dê murro em ponta de faca se algo não funcionar e não seja teimoso.”

Esse é o mantra de um dos profissionais mais experientes da Twist na gestão de planejamento de ações online e campanhas direcionadas, e com certeza faz parte das boas práticas de marketing para atender a grandes escopos. Essa postura foi crucial para beneficiar o investimento feito pelo cliente e a redução do tempo empreendido em cada tarefa específica.

A agência priorizou o fortalecimento das estratégias que geraram resultados, realizou testes abrangentes que identificaram gaps estratégicos e, corrigidos, evitaram desperdício de recursos, garantindo um direcionamento preciso para as campanhas digitais. Por meio da captura, análise e cruzamento de dados, o planejamento entrou no rumo que agência e cliente desejavam.

6º passo das boas práticas: Fazer o caminho reverso


Durante a execução das ações propostas no planejamento, por muitas vezes, você deve focar no objetivo antes mesmo de se debruçar nas tarefas necessárias para alcançá-lo.

Isso acontece porque a tomada de decisões estratégicas fica mais clara por meio das boas práticas, uma vez que, em caso da meta ser muito difícil de ser alcançada, há a possibilidade de reverter e repensar processos ou, até mesmo, eliminá-los.

É como imaginar o passo a passo para se alcançar o cume de uma montanha. Se ela for alta demais, você não tiver todos os equipamentos recomendados e o tempo estiver adverso, é melhor, simplesmente, cancelar a subida para encontrar outra forma de chegar até lá.